13 de julho: a data escolhida para celebrar o Dia do Rock

Banda suzanense Haunter está produzindo seu primeiro álbum
Banda suzanense Haunter está produzindo seu primeiro álbum - FOTO: Divulgação
Com certeza você já ouviu falar de Elvis Presley, The Beatles, Queen, Titãs e tantas outras lendas do Rock. Você pode até não gostar do conjunto rítmico da bateria, do baixo, do vocal e da guitarra (símbolo do genêro). Mas o fato é que o Rock marcou história devido sua influência mundial no comportamento das pessoas, e passou até a ter um dia de celebração.

O Dia Mundial do Rock é comemorado todo 13 de julho. Essa data surgiu em 1985, quando um concerto beneficente, o Live Aid, ocorreu simultâneamente nos estádios de Wembley, em Londres, no Reino Unido, e no John F. Kennedy, na Filadélfia, Estados Unidos. O objetivo desse evento, organizado pelos cantores e compositores, Bob Geldof e Midge Ure, era chamar a atenção das pessoas e arrecadar fundos para auxiliar a crise humanitária que a Etiopia, no continente africano, vivia na época. 

A banda Queen foi considerada o destaque do concerto, que contou ainda com a presença de Led Zeppelin, U2, David Bowie, Bob Dylan, entre tantos outros astros roqueiros. 

Para o baterista, Everton Pessoa, da banda de heavy metal, Old School Trip, o genêro vai além de um estilo musical. "O rock é um estilo de musica, mas tem uma ideologia, um forma de se comportar, que o diferencia dos outros estilos. Ele acaba expressando o conteúdo e o contexto, através das musicas e dos instrumentos", explica. 

Sobre a importância de se ter um dia especial para celebrar o rock, o também baterista, Renato Freitas, integrante da banda, Prowler, cover do Iron Maden, é categorico em afirmar que é uma ação que evidencia uma cultura. "O rock foi variando, passando por várias fases. Além da música, o ativismo faz parte do rock, assim como as formas de se vestir. Tudo isso faz parte da história, por isso a importância de se celebrar o gênero", afirma. 

O genêro foi se modificando ao longo do tempo e hoje há uma subdivisão dentro do ritimo. "Tanto ideologicamente como musicalmente o rock e o heavy metal são subdivididos. O rock moderno está diferente, hoje há um amadurecimento do genêro", ressalta Du Marques, vocalista da Haunter.

Para o fundador e baterista da banda de hard rock, Thor, Ricardo Barreto existem bandas icônicas. "O Paul Macarter, ex integrante do The Beattles, que surgiu nos anos 60, continua fazendo grande sucesso. Assim como a banda AC/DC que nasceu na década de 70 e lota os estádios por onde passa com seu público", ressalta. 

Para comemorar o Dia do Rock, o coletivo suzanense, "Rock na Boa" em parceria com a prefeitura estão organizando o festival musical, "Rock na Boa". Que ocorrerá em Suzano, no Parque Max Fefer, no próximo dia 21, a partir das 13 horas. O evento tem a entrada gratuita, é solicitado apenas que o público contribua com um agasalho ou um quilo de alimento não perecível, que será redistribuído pelo Fundo Social de Solidariedade para entidades carentes. O festival contará com a apresentação das bandas, Old School Trip, Haunter, Thor, Prowler e Korzus. Além dos shows, a comemoração terá brinquedos, barracas de comidas e guarda municipal.

Texto supervisionado pelo editor. 

QUEEN, O DESTAQUE DO MEGASHOW

20 anos após ocorrer o "Live Aid", em votação, produtores e jornalistas musicais elegeram a performance da banda "Queen" no festival, como a melhor de um artista na história do rock.
20 anos após ocorrer o "Live Aid", em votação, produtores e jornalistas musicais elegeram a performance da banda "Queen" no festival, como a melhor de um artista na história do rock. - FOTO: Divulgação
A banda Queen liderada pelo astro Fred Mercury, se apresentou no show de Londres e fez grande sucesso, que marcou sua trajetoria. "O show de 21 minutos do Queen no Live Aid foi eleito como a melhor
performance de um artista na história do Rock em uma votação entre
artistas, produtores e jornalistas da indústria fonográfica, que
ocorreu em 2005, batendo outras consagradas apresentações de artistas,
como a de Jimi Hendrix (1969), Sex Pistols (1976), David Bowie (1973) e
Rolling Stones (1969)", conta Ciro Visconti, coordenador da
pós-graduação em Rock, da Faculdade
Santa Marcelina.

Ainda de acordo com o professor, o show da banda Queen, no Live Aid, é
considerado o grande destaque, visto que o evento também contava
também com bandas clássicas, como Led Zeppelin, Black Sabbath e The
Who. "Na época, haviam artistas que estavam liderando as paradas, como
Dire Straits (com Money For Nothing) e U2 (com Sunday Bloody Sunday).
Além disso, a icônica performance da banda Queen foi reproduzida quase
integralmente no filme Bohemian Rhapsody (2018)", complementa. 

As bandas e artistas que se apresentaram no estádio Wembley, em
Londres, foram: Status Quo, The Style Council, The Boomtown Rats, Adam
Ant, Ultravox, Spandau Ballet, Elvid Costello, Nik Kershaw, Sade, Sting
(participação de Phill Collins), Howard Jones, Bryan Ferry
(participação de David Gilmour), Paul Young, U2, Dire Straits, Queen,
David Bowie, The Who, Elton John, Paul MacCartney e Band Aid. 

Já no estádio John F. Kennedy, na Filadélfia, se apresentaram:
Bernard Watson, Joan Baez, The Hooters, Four Tops, Billy Ocean, Black
Sabbath, Run-D.M.C, Rick Springfield, REO Speedwagon, Crosby, Stills and
Nash, Judas Priest, Bryan Adams, The Beach Boys, George Thorogood and
The Destroyers, Simple Minds, Pretenders, Santana, Ashford & Simpsons,
Madonna, Tom Petty and the Heartbreakers, Kenny Loggins, The Cars, Neil
Young, The Power Station, Thompson Twins, Eric Clapton, PhillCollins,
Led Zeppelin, Crosby, Stills, Nash & Young, Duran Duran, Patti LaBelle,
Hall & Oates, Mick Jagger, Tina Turner, Bob Dylan e USA for Africa. 

*M.Q.

Deixe uma resposta

Comentários