Obra da Marginal do Una deve ser retomada em três meses

Projeto de conclusão da via contempla cerca de dois quilômetros da pista sentido rodovia Índio Tibiriça
Projeto de conclusão da via contempla cerca de dois quilômetros da pista sentido rodovia Índio Tibiriça - FOTO: Wanderley Costa/Secop Suzano
As obras de conclusão da avenida Governador Mário Covas Júnior, a Marginal do Una, devem começar em três meses. No momento, a Prefeitura de Suzano trabalha na análise do edital da licitação que contratará a empresa responsável pelo projeto. Essa é uma das obras mais aguardadas pelos moradores da cidade, já que promete melhorar significativamente a mobilidade viária do município. Será investido um total de R$ 12 milhões na conclusão da via.

Em abril, a Agência de Desenvolvimento Paulista (Desenvolve SP), responsável pelo repasse dos recursos para execução da obra, tinha dado a autorização para a realização do processo licitatório. De acordo com a administração municipal, a licitação ainda não foi publicada: "Ela acabou de ser elaborada e seguiu para análise jurídica. A publicação só deve ocorrer depois da aprovação da Secretaria de Assuntos Jurídicos. A previsão é que o processo licitatório leve menos de três meses para culminar no início dos trabalhos no local".

O projeto de conclusão da Marginal do Una compreende um trecho de cerca de dois quilômetros da pista sentido rodovia Índio Tibiriçá (SP-31), na região da Vila Figueira. A obra prevê a revitalização total do local, com nova pavimentação, acessibilidade, paisagismo e iluminação. O término da avenida é aguardado pelos moradores há mais de 12 anos. Para a Prefeitura de Suzano, a realização da obra trará diversos benefícios para a cidade. "Com esta revitalização, as consequências para o tráfego na área central serão enormes, já que boa parte dos veículos pesados não precisarão mais entrar na área central para ter acesso à rodovia Índio Tibiriçá", informou a administração municipal.

A destinação dos R$ 12 milhões do Desenvolve-SP para concluir a marginal já foi oficializada pelo governo do Estado. As parcelas serão liberadas conforme o progresso das intervenções, por meio das medições que serão realizadas pela entidade financiadora. A expectativa é que depois da assinatura do contrato com a empresa vencedora do certame, as obras sejam concluídas no prazo de 12 meses.

Deixe uma resposta

Comentários