Diarinho é base de atividades desenvolvidas com os alunos

Professores revelam que têm usufruido do suplemento para realizar atividades
Professores revelam que têm usufruido do suplemento para realizar atividades - FOTO: Fotos: Suéller Costa
O Diarinho tem sido um importante aliado no processo de ensino e aprendizagem dos alunos atendidos pelo projeto Dat - Formando o Cidadão do Futuro. Com matérias diversas, que envolvem assuntos que se enquadram nas diferentes disciplinas que agregam o conteúdo curricular, os professores revelam que têm usufruido deste suplemento para a realização de variadas atividades em sala de aula. História, Geografia, Ciências, Língua Portuguesa e até Matemática, dentre tantas outras matérias, já se apropriaram do jornalzinho para complementar a sua dinâmica escolar.

As professoras Dulcinéia Aparecida da Fonseca, que leciona para uma turma do 4º ano da Emef Sandra Regina de Freitas Cardoso, e a Ana Maria Cardoso, que atua com o 5º ano da Emef Nelson de Olveira Camargo, de Biritiba Mirim, estão entre os profissionais que adotam o Diarinho em suas aulas.

De escolas diferentes, mas em sintonia em suas atividades, as educadoras mostram, a cada encontro de formação com a equipe do projeto Dat - Formando o Cidadão do Futuro, a sua criatividade na preparação de suas aulas. Dulcinéia, entrando no clima do mês das crianças, utilizou uma matéria de capa do caderno infantil para debater o tema com a sua turma. "Primeiramente, eu utilizei a reportagem 'Ser Criança', divulgada em outubro no Diarinho, e pensei: por que não oferecer uma atividade por meio dessa temática? Após a leitura do conteúdo, pedi para os alunos responderem, segundo a sua interpretação, o que representava, para eles, 'ser criança'", conta.

A partir disso, segundo a professora, eles desenvolveram textos compartilhando as suas respostas. "Eu realizei esta atividade fora de sala de aula, em um ambiente externo, para fugir um pouco da rotina. Foi diferente, tivemos produções criativas. Sempre destaco a importância de utilizar o jornal, pois esse suporte oferece diversas possibilidades de trabalho, esta atividade é um exemplo de como ele nos auxilia em aula", explica.

Já Ana Maria também se apropriou do tema acerca do Dia das Crianças, porém, com uma proposta diferente. Os alunos de sua turma do 5º ano leram a matéria especial, discutiram o assunto e dividiram as suas opiniões. Em seguida, trabalharam com outras seções do Dat, e, entre elas, a coluna social Fatos, Fotos & Personalidades, que, de acordo com a educadora, desperta a atenção dos pequenos por conta da variedade de imagens que apresenta. "Orientei os alunos a produzirem uma página de jornal, com os assuntos e imagens de sua preferência. Pedi a eles para recortar imagens do Dat e Diarinho, e, inclusive, muitos deles optaram por imagens da coluna social. Com as ilustrações, eles montaram uma página exclusiva com os recortes. Alguns, no momento da produção, preferiram tirar as suas próprias fotos e montar uma seção personalizada", destaca.

A professora comenta que os assuntos foram diversos. "Após a finalização, compartilhamos com outros professores, que se interessaram em fazer algo parecido. A ideia era mostrar o processo de produção das seções de um jornal, e, com base nas leituras sobre o Dia Crianças, eles tiveram uma inspiração para as suas próprias produções", esclarece.

Ambas as educadoras são exemplos de que tanto o Diarinho quanto o Dat chegam às escolas com o intuito incentivar a leitura, a escrita e a interpretação. E, mais do que isso, de propor atividades diferenciadas, que promovam um ensino prazeroso e significativo. Um objetivo que vem sendo colocado pela equipe do projeto com a parceria dos educadores, que, com a sua criatividade, empenho e envolvimento, tem mostrado a eficácia deste suplemento que encanta os leitores mirins do Alto Tietê.

LEITORES MIRINS DIVIDEM OPINIõES

Após leitura de matéria do Diarinho, alunos do 4º ano da Emef Sandra Regina de Freitas Cardoso, dividiram sua opinião sobre o 'ser criança'
Após leitura de matéria do Diarinho, alunos do 4º ano da Emef Sandra Regina de Freitas Cardoso, dividiram sua opinião sobre o 'ser criança' - FOTO: Divulgação
A matéria "O que é ser criança", divulgada em outubro no Diarinho, despertou a atenção dos leitores mirins de uma sala do 4º ano da professora Dulcinéia Aparecida da Fonseca, da Emef Sandra Regina de Freitas Cardoso. Após uma atividade diferenciada com o suplemento, a educadora pediu para eles compartilharem as suas opiniões. E as respostas foram as mais diversas, revelando que esta é, sim, uma das melhores fases a ser vivida. Um período voltado não só às brincadeiras, mas também à convivência com pessoas do bem, ao compartilhamento de momentos especiais, ao aprendizado constante e aos estudos que os encaminharão a um futuro positivo.

Para a aluna Julia Nayara Novaes Santos, este é um dos períodos que fica marcado na memória de todos. "Criança é algo que não passa com o tempo, sempre vamos nos lembrar da nossa infância. Criança não deve trabalhar, mas estudar, e ajudar os outros, como a minha mãe, além de brincar", descreve.

A diversão está garantida, mas, para a aluna Maria Eduarda Pereira de Siqueira, os bons sentimentos devem estar guardados no coração e ser semeados com todos. "Ser criança é divertido, podemos brincar, passear, jogar videogame. Mas a criança deve ser amada e respeitada. Precisamos ter amigos, mas somente amizades verdadeiras, e temos de ter amor ao próximo, principalmente à nossa família. E não podemos nos esquecer de que temos de ir à escola, para estudar e aprender bastante. Eu amo a minha vida de criança", compartilha.

A atividade despertou o interesse de toda a turma e atendeu às expectativas da educadora, que gostou do envolvimento, das ideias debatidas e da produção textual. "Eles se entregaram à atividade, e foi muito bom ouvir a opinião deles sobre a fase que estão vivenciando", finaliza Dulcineia. (S.C.)